quarta-feira, 12 de março de 2014

Tentações

Falar de tentações é recordar tudo aquilo que nos pode afastar de Deus.
As tentações acabam por ser uma proposta revestida de bondade, uma porta aberta a caminhos aparentemente mais fáceis.
Ao recordar as tentações de Cristo, pelo menos as duas primeiras, não se revestem de nenhuma maldade só por si: transformar pedras em pão, ser admirado pelas multidões... O erro está é em alterar as prioridades da nossa vida.
A Quaresma, como tempo de conversão, é um tempo favorável à reorganização pessoal e comunitária!
E como se consegue isso? Do mesmo modo como cristo venceu as tentações: focando-se na palavra de Deus, aderindo ao Deus verdadeiro e não aos ídolos, e recusando todo o poder que seja opressivo e ostentatório.


Sem comentários:

Enviar um comentário