domingo, 4 de outubro de 2009

A Catequese na Arquidiocese de Braga

A Arquidiocese de Braga iniciou festivamente o ano catequético no passado dia 12 de Setembro, com o Dia Arquidiocesano do Catequista. Este dia acontece todos os anos no segundo sábado de Setembro e pretende dar o mote à catequese diocesana: trabalhando os temas e opções de cada ano pastoral, ouvindo a voz do Bispo, convivendo e celebrando juntos.

Este ano reuniram-se no Sameiro cerca de 3500 catequistas que através de conferências, ateliers, oração e celebrações tomaram consciência e trabalharam formativamente as opções catequéticas da Arquidiocese.

Catequese: um serviço à Palavra de Deus

A catequese irá caminhar sob o lema «Catequese: um serviço à Palavra de Deus». Fazemo-lo porque temos consciência de que o ministério da Palavra é elemento fundamental da evangelização. Não haverá nunca verdadeira evangelização se o nome, a doutrina, a vida, as promessas, o Reino, o mistério de Jesus de Nazaré, Filho de Deus, não forem anunciados. Mesmo aqueles que já são discípulos de Cristo têm necessidade de ser alimentados constantemente com a Palavra de Deus para crescerem na sua vida cristã (Cf DGC 50).

É o serviço à Palavra de Deus, onde se insere a catequese, que transmite a Revelação por meio da Igreja, valendo-se das «palavras» e «acções» humanas. Estas, porém, estão sempre em relação: com as «obras» que Deus realizou e continua a realizar, especialmente nos sacramentos; com o testemunho de vida dos cristãos; e com a acção transformadora que estes, unidos a tantas pessoas de boa vontade, realizam no mundo.

Pelo acima exposto, consideramos que não é correcto esperar que o catequizando se deixe transformar pela Palavra de Deus, quando o catequista não se compreende como um crente que tem um contacto aprofundado com a Sagrada Escritura, lida não somente na Igreja, mas com a Igreja e na sua fé sempre viva. Este contacto ajuda a descobrir a verdade divina, de modo a suscitar a permanente resposta de fé. A chamada «lectio divina» é forma eminente deste estudo orante e vital das Escrituras (Cf DGC 71). Até porque a Catequese deve ser uma autêntica introdução à lectio divina, isto é, à leitura da Sagrada Escritura feita “segundo o Espírito” que habita na Igreja(Cf DGC 127). Aqui temos bem presente aquilo que o Directório Geral da Catequese alerta para o facto de que “o ministério da Palavra compreende também uma dimensão litúrgica”(DGC 51).

Três prioridades, três níveis distintos

A catequese, acção eclesial de transmissão da fé, acontece no acompanhamento que o catequista faz de cada catequizando no encontro e configuração com Jesus Cristo, pela proposta da Palavra e celebração dos Sacramentos, deixando-se guiar e auxiliar pela Graça divina. Toda a programação pastoral está orientada para auxiliar, formar e animar os agentes de pastoral catequética a realizarem a sua missão com maior fidelidade a Jesus Cristo e à sua Igreja.

Formação de Catequistas

Nos últimos tempos, a formação de catequistas têm-se vindo aproximar o mais possível das paróquias. Para isso estamos a constituir, em diversos pontos da Arquidiocese, Centros Arquidiocesanos de Formação de Catequistas (CAFCA). Nestes centros – 8 em funcionamento e mais 3 em fase de implementação – cada catequista tem a possibilidade de realizar um itinerário de formação, tal como foi definido no plano estratégico de formação: Catequista: rosto e porta-voz da fé da Igreja, de Julho de 2008.

Nestes CAFCA’s pretende-se que em toda a diocese haja uniformidade na formação, em fidelidade àquilo que a Igreja nos pede. No ano pastoral que terminou pudemos oferecer propostas formativas diferenciadas a 1154 catequistas em formação. Para isso, constitui-se uma rede de formadores que, de acordo com o nível de formação a que estão dedicados e sob uma única coordenação, procedem à elaboração de materiais didácticos, planificação, realização e avaliação das acções, para que resplandeça, também na formação, a unidade da Igreja local.

Coordenadores Paroquias

Estamos persuadidos de que a catequese paroquial será tanto melhor, quanto melhor os catequistas se encontrarem e forem grupo. Para que o Grupo aconteça com mais facilidade urge valorizar e potenciar a missão do catequista coordenador e da equipa de coordenação paroquial. Fazemo-lo porque a coordenação da catequese não é um facto meramente estratégico, voltado para uma mais incisiva eficácia da acção evangelizadora, mas possui uma dimensão teológica de fundo. A acção evangelizadora deve ser bem coordenada porque ela visa a unidade da fé, a qual, por sua vez, sustenta todas as acções da Igreja (Cf DGC 272). Para dotar aqueles que lhe são ou poderão vir a ser incumbidas tarefas de coordenação paroquial realizaremos em cada CAFCA diversas edições do Curso de Coordenação Paroquial, depois de o termos estruturado e realizado em várias edições no ano que passou, onde pudemos formar 148 coordenadores paroquiais.

Equipas Arciprestais

O Arciprestado, como unidade pastoral estruturante da Igreja local, tem diversas equipas sectoriais: a da catequese é uma delas. Procura-se que esta Equipa seja dotada dos meios humanos imprescindíveis para a prossecução da sua finalidade, sendo constituída por sacerdotes e leigos, podendo a coordenação ser confiada a um leigo. Assim, e no próximo dia 1 de Dezembro, vamos realizar a primeira acção de formação para coordenadores de catequese que exercem a sua missão nas equipas arcirpestais, versando esta primeira edição sobre o planeamento estratégico.

De referir ainda que o Departamento Arquidiocesano da Catequese (DAC) é constituído por um Coordenador, nomeado pelo Arcebispo Primaz, e pelos coordenadores arciprestais e do serviço de formação, que reúnem periodicamente para, em unidade diocesana, levar a cabo a promoção da pastoral catequética na Arquidiocese.

In. Agência Ecclesia

Sem comentários:

Enviar um comentário