quarta-feira, 17 de junho de 2009

Não percebo!

Um dossier imperdível do P.e Rui Alberto, na revista CATEQUISTAS:
Pode ler aqui.

2 comentários:

  1. Tudo isto tem verdade...Mas se alguém tem capacidade para melhor...que arregace as mangas...porque de facto falar todos falamos...e opiniões todos nós temos...São muitos os factores que contribuem para a dificuldade de catequizar hoje...
    que Deus nos ilumine a fazer o melhor que podermos nas nossas catequeses...e que sobretudo levemos Jesus aos catequizandos, porque é isso que interessa... De resto já não adianta bater mais no ceguinho...BOAS FÉRIAS!

    ResponderEliminar
  2. Caríssimo(s) jovem.com:
    Quando escrevi o dossier de Junho da revista não estive a perder tempo a "bater no ceguinho".
    Procurei fazer um elenco, pensado, rigoroso, do que considero serem as principais ambiguidades e bloqueios da catequese que temos.
    Nºao me limito a constatar que "são muitos os factores que contribuem para a dificuldade de catequizar hoje". Não estamos já na fase das generalizações.
    Defendo que há uns factores e não outros que nos estão a bloquear.
    E, penso que um elenco sério das dificuldades já está no "arragaçar as mangas" para fazer a mudança.
    Mas porque vivo em Igreja, em comunhão, não acho que a minha forma de ver seja a única ou a única importante. Por isso, por respeito a quem pense diferente, publico as minhas ideias. Sujeito-as à leitura, à crítica e à avaliação públicas. Precisamente para superar a fase do "mandar bocas" ou das "lamentações".
    E a respeito da "capacidade para fazer melhor" penso que a quantidade de materiais que tenho publicado e feito editar fala por si.
    Diz a certa altura: "porque de facto falar todos falamos...e opiniões todos nós temos"
    Falar todos falamos; mas alguns de nós têm corrido o risco de pensar, de avaliar e de fazer alternativas.
    A respeito das opiniões que todos temos direito a ter, parece-me de bom tom distinguir "bocas, bitaites e afins" de opiniões pensadas e sustentadas.
    Está, evidentemente, no seu direito de considerar erradas ou incompletas as opiniões que emito na dossier. Mas não me parece honesto que elas sejam reduzidas-equiparadas a conversa de café.

    ResponderEliminar