quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Não me sai da cabeça

É assim: na actividade catequética temos muito claros os conteúdos, a referência é o Catecismo da Igreja Católica; sabemos muito bem que itinerário seguir e que estratégias utilizar, os dez anos de caetquese estão aí e a funcionar em pleno em quase todas as paróquias.

Mas o problema é sabermos que tipo de cristão queremos formar.Eu sei que o Directório Geral da Catequese fala lá da finalidade da catequese que é, passo a citar, «precisamente isto: favorecer uma profissão de fé viva, explícita e actuante.
Para alcançar esta finalidade, a Igreja transmite aos catecúmenos e aos catequizandos a sua fé e a sua viva experiência do Evangelho, a fim de que estes a assumam como sua e, por sua vez a professem. Por isso, a catequese autêntica é sempre iniciação ordenada e sistemática à revelação que Deus fez de Si mesmo à humanidade, em Jesus Cristo. Esta revelação permanece na memória profunda da Igreja e nas Sagradas Escrituras, e é constantemente comunicada, por uma tradição (traditio) viva e activa, de geração em geração»(DGC 66).

A Igreja espera que a finalidade da catequese seja conseguida através das suas quatros tarefas: iniciar à fé conhecida, celebrada vivida e orada, na Comunidade e com sentido missionário. Até aqui é claro.
Mais adiante, o referido Documento diz que a catequese, com a ajuda das ciências humanas, deve procurar que «os fiéis sejam conduzidos a uma vida de fé mais pura e adulta» (DGC 242).

Donde se pode concluir que a catequese tem como ideal formar cristãos adultos!

E o que é um cristão adulto?

Aqui permito-me dizer coisas erradas, esperando que me corrijam e ajudem a caminhar.

Um adulto é uma pessoa que tem a sua personalidade unificada, pelo que um cristão adulto é alguém que, num espaço de decisão pessoal, se compromete livremente pela causa do Reino. Desta liberdade derivam convicções evangélicas estáveis, com coerência cristã.
A pessoa madura é responsável pela totalidade da sua vida, assume todos os aspectos da sua vida, pelo que um cristão adulto vê a sua adesão a Deus implicar cada dimensão da sua vida e da sua personalidade.
Um adulto é alguém socializado e adaptado à realidade, que não foge da vida. Um cristão adulto será sempre alguém que vive em Igreja, comprometido com o Reino de Deus, numa permanente atitude de humildade.

3 comentários:

  1. Permite-me acrescentar mais um item que me parece importante. O cristão adulto é aquele que fez a experiência fundamental da misericórdia. De uma outra forma, que fez a experiência de morte e ressurreição.

    ResponderEliminar
  2. Uma reflexão muito importante, acrescentamos:
    o cristão adulto é aquele que tem um coração de criança... "...quem não receber o Reino de Deus como um pequenino, não entrará nele"

    ResponderEliminar
  3. O cristão adulto é uma pessoa consciente, que quer ser cristão, por opção e descoberta pessoal, e não por pura transmissão. Por essa razão, precisamos de ver a forma como ajudamos a desenvolver o cristão.
    Para isso, é preciso ter um pensamento crítico e reflexivo. Dizia alguém, citado por D. António Couto, Bispo de Braga, "enquanto estamos inquietos estamos bem". Não tenhamos medo de pensar, e ir ao encontro da experiência pessoal do Cristo bíblico e do Pai por ele revelado.

    ResponderEliminar