quinta-feira, 10 de julho de 2008

Cada um...

Cada um que passa em nossa vida passa sozinho...
Porque cada pessoa é única para nós,
e nenhuma substitui a outra.
Cada um que passa em nossa vida passa sozinho,
mas não vai só...
Levam um pouco de nós mesmos
e nos deixam um pouco de si mesmos.
Há os que levam muito e os que levam pouco,
mas não há os que não levam nada.
Há os que deixam muito e os que deixam pouco,
mas não há os que não deixam nada.
Esta é a mais bela realidade da vida...
A prova tremenda de que cada um é importante
e que ninguém se aproxima um do outro por acaso...
[Saint Exupery]

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Dá que pensar


Ando com uma tristeza...
Deve-se essencialmente ao ritmo com que têm sido publicados os materiais de catequese editados pelo Secretariado Nacional da Educação Cristã, vulgarmente chamados «Novos Catecismos».
Andava eu com isto na cabeça e no coração quando me enviam, num dos muitos e-mails que circulam pela rede, este poema:




Na primeira noite, eles se aproximam
e colhem uma flor de nosso jardim.
E não dizemos nada.

Na segunda noite, já não se escondem,
pisam as flores, matam nosso cão.
E não dizemos nada.

Até que um dia, o mais frágil deles,
entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a lua,
e, conhecendo nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.

E porque não dissemos nada,
já não podemos dizer nada.

Maiakovski



Em breve, escreverei sobre este assunto.